12 de abril de 2007

Sete Doses de Cachaça

Gosto de escrever, o que é óbvio, e gosto muito de ler – só este ano já estou no meu 7º livro – e além de ler sempre a Folha de SP, quando tenho oportunidade leio o Estadão, O Globo ou qualquer outro jornal e revistas que caiam em minhas mãos.
Minha cabeça, como a de muita gente, fica trabalhando o tempo inteiro e, por isso, vivo escrevendo abobrinhas em meus cadernos. Mas essas abobrinhas que escrevo não cabem no meu blog As Efemérides do Rock Brasileiro, mesmo que por algumas vezes ponho alguns textos por lá que falam de música e política. Por não querer poluir o blog e não querer confundir os assíduos leitores das efemérides, resolvi criar mais esse blog, mas sem divulgá-lo. Pus um link, mas sem dizer nada, apesar uma reticências, o que de fato esse blog, pra mim, é.
Não quis divulgá-lo, pois o Sete Doses de Cachaça não tem pretensões além do meu gosto pela escrita. Aqui postarei textos sobre qualquer assunto, com profundidade ou não, e postarei quando quiser, sem a obrigação diária.
Li algumas vezes matérias que foram publicadas e que falavam sobre blogs e suas regras. Mas desde quando blog tem que ter regra?
Jornalistas adoram inventar coisas para “ilustrar” suas matérias e que muitas vezes não passam de blá blá blá.
A maioria deles diz que é preciso publicar textos diariamente. Mas por quê? Oras, isso depende do blog!
Como fazer regras para uma coisa que é pessoal? Na minha casa quem faz as regras sou eu: se eu quiser deixar a louça suja, o banheiro molhado ou colocar uma cama na sala o problema é meu. A mesma coisa acontece com os blogs.
Afinal depois de sete doses de cachaça qualquer assunto é legal e qualquer filosofia é barata.

Um comentário:

Rock Brasília disse...

hehehe. Massa, eu sofro do mesmo mal.

Abs