20 de março de 2016

Clássicos de março

Todo mês tem discos clássicos fazendo aniversário, seja uma data redonda ou não. Um clássico não é necessariamente um disco de sucesso, principalmente aqui no Brasil.

Inclusive boa parte dos discos lançados em 1980 serve de exemplo de como se pode ter discos clássicos, mas sem ter necessariamente qualidade de produção e nem alta vendagem.

Muitas coisas envolvem um disco clássico, como é o caso de Crescendo, do Ultraje, lançado em 1989. É o 3º disco do Ultraje e o 3º a ganhar Disco de Ouro (na época 100 mil vendidas). Ele marca mais pelo repertório do que pelo sucesso, porque apesar de ter vendido bem, não tocou em rádio e não chamou tanta atenção da mídia. Além do resgate de músicas antigas, e de “Crescendo II” onde Roger relata o episódio onde foi acusado de estupro (acusação depois retirada), há também “Filha da Puta”, música feita com a intenção de testar o fim da censura recém-decretado. Em SP a 89FM chegou a tocar a original, mas a maioria das rádios tocou a ‘versão família’, conhecida como “Filha Daquilo” rsrs. De qualquer forma foi uma ótima provocação. “Chiclete” e “Ricota” do Edgard Scandurra também foram gravadas (João Penca também tocava “Ricota”).

Dos lançamentos da geração 80, só tem grandes clássicos, e há mais dois exemplos de discos importantes que não fizeram sucesso: “Só Se For a Dois” de Cazuza, e “Quatro Coiotes” do RPM.

O 2º disco solo de Cazuza é um verdadeiro clássico, na época, apesar de ter vendido razoavelmente bem, foi “engolido” por outros discos que estavam fazendo muito sucesso nesse período, entre eles Cabeça Dinossauro (Titãs), Dois (Legião) e Rádio Pirata (RPM), só pra ficar em três... Mas nele Cazuza gravou músicas maravilhosas como “Nosso Amor a Gente Inventa”, “Solidão Que Nada”, “Completamente Blue”, “Vai a Luta”, “Culpa de Estimação” (com Frejat) e “Balada do Esplanada”. Discaço. Cazuza ultra maduro!

O mesmo já não dá pra dizer de Quatro Coiotes, do RPM. Um disco ultra mega aguardado, criou-se um monte de expectativa em cima do segundo disco de músicas inéditas do RPM, lançado três anos após o primeiro, e após a ascensão e queda da banda e do poder econômico brasileiro.

Nesses três anos que separaram os dois discos, muita coisa aconteceu, inclusive a banda chegou a acabar, mas logo foi ressuscitada por Milton Nascimento. De “queridinha dos críticos do circuito underground” a “pôster no quartinho da empregada”, tudo aconteceu com o RPM. Um dia sem dinheiro pra pagar o aluguel, no outro sem lugar pra colocar tanto dinheiro!

Trabalhou com Milton, Ney Matogrosso, elogiado por Caetano, Gil... RPM caiu nas graças do país inteiro, da classe A até a classe E.

Vendeu horrores de seu disco ao vivo Rádio Pirata e já tinha vendido ultra bem o primeiro disco, até porque “Louras Geladas” e “Olhar 43” tocaram sem parar em AM e FM durante praticamente 2 anos seguidos!

Aí, em meio a todo esse contexto e a uma separação, a banda resolve voltar, viajar e se isolar para preparar o repertório do novo disco. Ninguém tem acesso a informações, RPM voa para Los Angeles, muda a linguagem visual, muda o figurino, o marketing da gravadora a mil com todas as mudanças e segredos, até que finalmente o disco foi lançado. Uma porcaria. Além de mal gravado e produzido, o repertório é fraquíssimo, não chega nem ao chulé das primeiras composições. A tiragem inicial foi de 250 mil cópias, mas nem todas foram vendidas. Pra quem tinha vendido nos últimos 3 anos mais de 4 milhões de cópias, 250 mil não era nada. O disco não causou impacto nenhum – apenas o negativo, não tocou em rádios, não emplacou na TV e não chamou a atenção das fãs, que a essa altura estavam três anos mais velhas. Junto a tudo isso, se soma a frágil relação entre os integrantes. Resultado desse fracasso foi o fim definitivo da banda menos de um ano depois do lançamento, em fevereiro de 1989, quando RPM fez três shows de despedida no Dama Xoc. Até hoje ninguém conhece música alguma do Quatro Coiotes, assim como não conhece nenhuma do disco mais recente.

Em 1983 a Gang 90 & Absurdettes lançou o incrível 1º disco Essa Tal de Gang 90 & Absurdettes. Um dos pioneiros, e de suma importância. Por causa de Júlio Barroso e Gang 90, muita coisa aconteceu no rock brasileiro. Graças a Gang 90 existiu Blitz. Graças a influencia de Júlio Barroso muitos clássicos do rock brasileiro foram compostos. O disco, se você for escutar com atenção, perceberá que não é nada comercial, pelo contrário. A força dele vem de quatro grandes composições, verdadeiros hits: “Perdidos na Selva”, “Telefone”, “Noite e Dia” e “Louco Amor”. As outras 6 músicas do disco são maravilhosas (o que falar de "Jack Kerouac"?!?), mas inviáveis para qualquer rádio comercial. Já escrevi sobre esse grande clássico e ele é simplesmente a síntese do rock brasileiro dos 80. É mega, é grandioso, é épico!

Em falar em épico, outro da mesma altura é o “Tente Mudar o Amanhã”, 1º disco do Cólera, de 1985. Disco independente, feito na raça, e lançado pela gravadora do próprio Redson, Ataque Frontal (antes Estúdios Vermelhos). Esse foi outro disco bastante aguardado, já que Cólera existia desde 1979, já era conhecida no circuito de shows, e já tinha participação no Grito Suburbano, SUB e O Começo do Fim do Mundo. Das 20 músicas registradas, ao menos 10 são clássicos do punk rock brasileiro, como “1.9.9.2.”, “Palpebrite”, “São Paulo”, “C.D.M.P.”, “Violar Suas Leis”, “Duas Ogivas”....

Pra fechar os 80 tem o 2º disco solo do Lobão, O Rock Errou, de 1986. Vendeu 100 mil cópias, e agradou bastante rádios e TVs. Lobão sempre Lobão, então ressurgiu (depois de Os Ronaldos) polêmico como sempre, com um título provocador, bem no auge da cena rock no mainstream, e um disco bem gravado, com um repertório de primeira, e recheado de bons parceiros como Cazuza, Bernardo Vilhena e Júlio Barroso. “O Rock Errou”, “Revanche”, “Noite e Dia” e “Canos Silenciosos” foram as que tocaram muito. Aí você pega o Lobão ácido, suas prisões por porte de drogas, e suas declarações sempre provocadoras e junta tudo a uma capa polêmica pela nudez de Daniela, sua suposta prima e também namorada, aí já viu, né?!? Esse é outro grande disco.

Voltando uma década, em 1972 foi lançado Clube da Esquina. Aí o bicho pega! Tem Milton Nascimento, Márcio Borges, Lô Borges, Beto Guedes, Ronaldo Bastos,Tavinho Moura, Toninho Horta, Vermelho, Zé Eduardo, Fernando Brant, Flávio Venturini, Neném, Wagner Tiso, Paulinho Carvalho entre outros. Todos com idade variando entre 20 e 30 anos.

Clube da Esquina é uma pérola da música brasileira e figura sempre entre os 10 primeiros em qualquer lista dos melhores discos brasileiros. Disco duplo com 21 músicas. Das minhas preferidas, a mais de todas é “Trem de Doido”. Foi algo novo, uma vitamina pós Tropicália, e tão grandioso quanto discos que eram lançado nesse período de fogo aberto entre artistas da MPB e ditadura. É disco pra escutar sempre!

Por fim a geração 90 com três lançamentos bastante significativos: Skank em 1993, Da Lama ao Caos em 1994 e Usuário em 1995. Todos eles sendo o 1º lançamento dessas bandas. Três discos atemporais. Difícil dizer qual deles entre Skank, Chico Science e Planet Hemp é o mais importante. Acredito que os três tem o mesmo peso e cada um por seus motivos. Skank pelo frescor (pop, reggae, dancehall, dub, futebol e engajamento), CSNZ pela sonoridade (pós punk com sonoridade regional) e Planet pela ousadia (o texto, a postura). Os três tem muito mais que isso, mas dá pra resumir assim.

É bom também observar que cada uma dessas bandas, apesar de estarem na mesma cena, são de estados diferentes.

(no VMB de 1995 juntou em um camarim Chico Sciense e Nação, Planet e Raimundos. Já viu, né? kkk)

E o mais legal de tudo é que passados mais de 20 anos, as três bandas estão aí, continuam tocando, gravando, lançando bons trabalhos e com shows cheios.

Agora lhe pergunto: de todos esses lançamentos do mês, qual você levaria para uma ilha deserta?




13 de março de 2016

Porque Não Gosto de Lula e do PT

Título objetivo, direto. Exatamente para chamar a atenção. Não gosto. Pronto!

Sou um fudido, cheio de dívidas, sem trabalho regular, sem perspectiva de um bom futuro, sem dinheiro pra juntar, sem possibilidades de fazer planos. E tenho uma filha....

Não sou vermelho, nem azul. Não sou direita ou esquerda. Estou ao lado do que é justo, da verdade, da honestidade, da clareza.

Sou a favor da democracia. Sou parlamentarista. Sou a favor da alternância de poder com progresso. Sou a favor de um único plano de governo: fazer tudo pela população e pela boa qualidade de vida.

Sou a favor do fim da imunidade parlamentar. Somos todos iguais.

Quero que o pobre tenha muito mais do que bens materiais, adquiridos por leves e eternas prestações. Quero que o pobre deixe de ser pobre com bens materiais, que ele tenha estudo e oportunidade para deixar de ser pobre.

Uma coisa é fato: percebi que entre todos os que ainda continuam defendendo Lula, PT e o atual Governo, uma boa parte é de pessoas que não viveram a Ditadura Militar, não viveram os 70, os 80 e nem chegaram a votar em 1989. Gente que nem se lembra do processo de Impeachment de Collor. Pior, gente que não tem o costume da leitura, do estudo, e de prazer em ir atrás de conhecimento.

Tento entender o motivo que faz uma pessoa defender esse Governo corrupto. Como assim?!? Pra mim, é a mesma coisa que defender um Governo do Maluf, de Collor, de Sarney, de Aécio, de Temer. Então Collor não merecia o impeachment? É isso?!? (aliás, por bem menos que o Governo atual tem feito, ele sofreu impeachment rsrs)

Você não consegue ver que estar ao lado do PT é automaticamente estar ao lado dos maiores corruptos do quadro político atual?

Qual motivo para defender um Governo a favor da ditadura e a favor da censura?

Porque acreditar em uma pessoa em que alguns dos amigos mais próximos estão presos, acusados de roubo? Como acreditar nessa pessoa que manda em tudo e em todos, quando ela diz que nada sabia dos roubos?

Como acreditar em uma pessoa que nunca trabalhou? Como acreditar em uma pessoa que nunca estudou? Como acreditar em uma pessoa que se gaba por isso?

É sério mesmo? Deixa ver então se entendi: É de confiança um governo que comprovadamente rouba, que é ditador, que quer tomar da população a liberdade de expressão, que mente, que não tem plano de governo, que rouba objetos do Estado, que faz aliança com corruptos!

Quem defende esse tipo de coisa pra mim ou está hipnotizado, ou sofreu lavagem cerebral, ou é beneficiado de alguma forma por esse Governo... porque não é possível!!!

Desde pequeno em Brasília, vejo Lula vociferando contra tudo e contra todos. Quando perdeu a eleição para Collor, disse que faria um governo paralelo. Fez é porra nenhuma. E hoje é aliado de Collor. Aquele era momento dele estudar, se preparar e se aprimorar. Ode a ignorância é péssimo!

Nunca vi Lula trabalhar. Não sei de qualquer ganho de Lula que não venha de dinheiro público ou doações (obscuras ou não).

Não sou a favor de qualquer tipo de ditadura. Inclusive a ditadura partidária, que é o desejo de Lula atualmente sendo realizado. Ou vai me dizer que não vivemos uma ditadura partidária?!?! Ditadura essa que está presente em São Paulo, com o PSDB tomando conta do Estado há 20 anos. Um horror!

Pensar nisso me arrepia a espinha. Eu vivi, mesmo que moleque e adolescente, o período militar, e ainda por cima morando em Brasília, onde por vezes éramos proibidos de sair para tomar uma cerveja, porque qualquer lugar que tivesse três pessoas os mais, poderia ser visto como um complô contra os militares. Em Estado de Sítio, éramos obrigados até mesmo a entregar os espetos de churrasco se fossem pegos dentro do carro em uma blitz.

Ditaduras são nojentas. Vivi a censura, e a falta de liberdade de expressão é a coisa mais perigosa que pode existir. A falta de liberdade, seja ela qual for, é perigosíssima!

Pois bem. Lula, PT e seus correligionários, não só exigem uma ditadura do PT, como volta e meia tentam recriar a censura para controlar a imprensa. Como você pode ser a favor disso?

Lula tem como ídolos, ditadores e líderes comunistas assassinos que não medem esforços para obter o poder. Em seu Governo deu milhões de reais para ajudar ditadores cruéis. Me pergunto como ele pode ter ídolo se seu conhecimento é absolutamente limitado.

Lula é burro. Lula não lê. Lula não estuda. Lula não progride. Lula não gosta de trabalhar. Lula é fanfarrão.

Quando foi eleito para o 1º mandato, declarou ter R$ 800 mil reais. De onde? Como ele conseguiu R$ 800 mil reais se nunca trabalhou???

Como um homem tão poderoso, que foi Presidente em dois mandatos, não tem sequer uma geladeira em seu nome? Um tanto estranho, não?

Eu tenho 46, trabalho desde os 15 e tenho mais de 20 mil em dívidas! Não tenho casa própria e qualquer perspectiva de um futuro melhor.

Lula passou a vida toda falando em acabar com a corrupção, em colocar corruptos na cadeia, em transformar o Brasil em um país de 1º Mundo.

Lula não só não acabou a corrupção no país como criou novos mecanismos de roubo de dinheiro público. E toda essa engenharia de roubo deixou o Brasil bem longe do 1º mundo.

Não temos plano de governo para qualquer área no Brasil. Ministérios não sabem o que fazer. Bem, se na área ao redor do Ministério da Saúde há foco de dengue e zica, falar o quê sobre plano de governo, né não?!?!

Lula não colocou corruptos na cadeia, pelo contrário, se aliou a eles. (como ele gosta de falar) Ou seja, é um mentiroso compulsivo, e corrupto. Os corruptos que foram para cadeia são seus próximos, colegas de partido, de carreira política, de negócios escusos.

Xingou Collor, Sarney, Maluf, ACM, Renan, Temer, e agora é aliado de todos eles. Como você pode admirar um Governo que se alia a essa gente?!?

Você pode não saber, esquecer ou omitir, mas em 1986 Lula foi eleito Deputado Federal por SP. Lula foi o Deputado Federal mais faltoso do Congresso e nunca apresentou sequer um projeto. (Imitando Lula) Ou seja, mamou nas nossas tetas muito mais do que qualquer outro Deputado cretino.

Lula é um político profissional. Não há um político profissional no Brasil que tenha a história limpa, seja ele quem for. SEJA ELE QUEM FOR!

Ano passado fiz um trabalho de dois meses com um amigo, que agora é ex, e que é um desses que defendem esse governo. Certo dia, estava eu junto com outra pessoa, quando esse amigo admirador de Lula surgiu dizendo: “Democracia é uma merda”.

É isso! O pensamento é esse! Fiquei absolutamente indignado!

Em 1984 eu estava lá em frente ao Congresso pedindo Diretas Já, no dia da votação da emenda Dante de Oliveira. Então não tenho como receber uma fala dessa sem ser com indignação. Pior é que essa pessoa que disse esse absurdo, não viveu a Ditadura Militar, não viveu a imposição de um modo de vida, não viveu a censura. É só mais um desinformado. Só mais um que tem preguiça de conhecimento.

Nessa época de Diretas Já, as manifestações não eram como hoje, eram manifestações de verdade e não um bloco de carnaval, como foi na época de Collor e como é atualmente (agora até com coreografia ‘vergonha alheia’. Meu Deus!)

Veja bem, não estou aqui defendendo um político específico. Não estou aqui dizendo que estou fechado com esse ou aquele partido. Nada do que está aí me representa. Acredito que isso tenha ficado claro a essa altura do texto.

Estou ao lado da reforma política, estou ao lado da reforma trabalhista, estou ao lado da reforma tributária. E isso tudo o Lula vivia gritando por aí que faria se fosse presidente. Passados 14 anos de Governo petista, qual dessas reformas foram feitas??? Quantos corruptos (que não sejam do PT ou ligados ao PT) foram presos???

Porque Lula não aproveitou seu Governo e fez todas essas reformas que sempre gritou? Porque não colocou atrás das grades ACM, Maluf, Sarney, Collor e todos aqueles corruptos que tanto xingava e que hoje são seus amiguinhos!

Porque o PT só grita contra Aécio e PSDB? O que o Aécio fez ou é? Qual ameaça que Aécio representa, e porque o PT tem tanto medo dele? Porque os petistas só veem Aécio e PSDB como inimigos???

Todo esse pessoal ‘gente boa’ que se aliou ao PT não é ameaça para o partido vermelho? Todos esses aliados estão quietinhos, com sorrisinho nos lábios, só esperando o Japa tocar a campainha na casa de Lula. Tudo lobo faminto.

Porque nenhum dos admiradores de Lula e PT não falam algo sobre Maluf, Collor, Sarney? Por serem supostamente aliados? Porque você petista não acha que eles são ameaça?

Desde a abertura política tivemos Sarney, Collor, Itamar, FHC, Lula, Dilma. Em todos esses Governos houve corrupção e acordos políticos de interesse unicamente político. Deles todos, só Collor foi pego. O PT foi cara de pau na forma de roubar, e de fazer acordos pensando em seu plano de poder vitalício. Já está mais do que na hora disso acabar. Então porque não começar pelo Governo do PT, que quebrou o país de tanto roubar, e já que é aliado a todos os maiores corruptos do país. Assim, um puxa o outro, e vai todo mundo pro inferno.

Chega de PT, de Lula e desse governo que só afundou o país. Que inchou a máquina pública, que gasta mais do que arrecada, que não tem qualquer plano de governo, e sequer sabe onde pisa.

Como alguém pode defender um governo aliado com ditadura, aliado com censura, aliado com ladrões, aliado com o descompromisso social, provocador de uma guerra ideológica, aliado com a falta de saúde, aliado com a falta de educação (normal ter alunos de 8º ano que não sabem escrever, né?). Mas principalmente isso: aliado a uma ideologia ditadora sem objetivo que não seja o poder.

Dane-se todo e qualquer político, mas principalmente Lula por ser o mais mentiroso, cínico e corrupto de todos!

Governo populista de quinta categoria, de bolsa esmola que incentiva a preguiça (que por sinal  é um dos principais atributos de Lula).

Quero o fim desse Governo! Chega de ditadura!

Quero políticos comprometidos. Quero gente de coragem que, quando erra, levanta a cabeça, assume o erro e aprende com ele.

Quero políticos que não favoreçam essa ou aquela classe. Quero políticos sérios e preocupados com o todo.

Sempre olharei desconfiado para os radicais. Com o PT não faço diferente.

PS1: É bom lembrar que antes do PT no Governo, nós brasileiros vivíamos muito bem com nossas diferenças políticas. Mas a partir do momento em que Lula e o PT assumiram o Governo, o país passou a ver essas diferenças literalmente com pedra na mão, bem do jeito que o comunismo gosta, bem do jeito como Lula sempre levou suas diferenças.

PS2: Não deveria ser orgulho pra ninguém ter um torneiro mecânico corrupto e preguiçoso como presidente. Deveria ser sim um orgulho se esse torneiro mecânico que virou presidente tivesse se formado em uma universidade, tido uma carreira profissional de sucesso, aprendido línguas, trabalhado de sol a sol para ter suas conquistas e assim ser um exemplo.

PS3: E aí, vai deixar de acompanhar o Sete Doses de Cachaça por eu não gostar do Lula e do PT?

PS4: CPMF e mais impostos nada vão adiantar. Que tal a tributação das igrejas?

Mesmo sendo mais do que manjada, postarei "Que País é Este?", porque por incrível que possa parecer, essa música cabe muito bem ao Governo atual:

7 de março de 2016

Onde Você Estava em 1996?

O rock brasileiro é recheado de clássicos desde a década de 1960 até o final dos 1990. Mas por conta de sua história esburacada e problemas com a qualidade de produção e gravação, como escrevi aqui, a história desses clássicos também é esburacada. Além da preguiça e da ignorância de quem diz gostar de rock, mas que se limita a escutar algumas poucas bandas e a pesquisar praticamente nada. Um exemplo do que estou dizendo são os clássicos dos anos 1970 completamente esquecidos. Mas isso é outra história...

Quero aqui aproveitar uma data redonda: 20 anos se passaram desde 1996 (ah é?). 1996 foi um ano importante para a geração 90, que já é velhinha, como as outras gerações anteriores a ela. É difícil acreditar, mas Samuel Rosa, Digão, Marcelo D2, Yuka, Fernanda Takai, Jorge Du Peixe, são todos hoje veteranos.

Para a maior parte dessas bandas que marcaram a década de 90, digo entre outras, Planet Hemp, Raimundos, CSNZ, O Rappa, Skank, Pato Fú, e que começaram ainda na virada dos 80 para os 90, o ano 1996 foi de suma importância, porque é a velha máxima: lançar o primeiro disco é fácil, agora vai lançar o segundo ou terceiro! E era isso que estava acontecendo com essa geração.

Para o lado da música e entretenimento, a década estava ‘fervendo’, também graças a estabilidade econômica. As vendas de CDs em alta, videoclipe no auge, rádios e TVs aproveitando essa onda, e agendas cheias. Como consequência, havia um bom número de casas noturnas que movimentava a cena underground.

Foi o ano da morte de Tupac Shakur e da ascensão do Britpop. Era o auge do CD e não tinha nada de computador ou internet (aqui no Brasil). Teve também o Massacre de Carajás, Boris Ieltsin e Bill Clinton reeleitos, e o fim do Apartheid na África do Sul. Vai longe à lista dos acontecimentos históricos... 

Ah! E foi o ano em que ressuscitaram o Beatles em grande estilo com o doc Anthology. Ele foi lançado pela BBC em novembro de 1995, mas foi degustado em 1996. Duas músicas inéditas, videoclipe com imagens raras... um deleite!

E 1996 já começou com duas porradas. Uma ótima e outra terrível. O Sepultura lançou o incrível Roots no final de fevereiro, e menos de uma semana depois a rapaziada do Mamonas Assassinas foi vítima do trágico acidente de avião. Claro que os fatos não tiveram conflito. Eu lá na MTV assisti as primeiras imagens brutas feitas após o acidente...

O lance é que Roots deu um nó na cabeça de qualquer roqueiro no mundo. É daqueles discos que, de tão fortes, forçam uma mudança de comportamento, e foi o que aconteceu no universo do metal. Era o caminho natural pra quem já tinha feito Arise e Chaos A.D. Muito foda!

E agora uma pausa pra te lembrar de algumas das músicas mais tocadas de 1996:
- Alanis Morissette “Ironic”
- Adam Clayton & Larry Mullen Theme From "Mission Impossible"
- Barão Vermelho “Vem quente que eu estou fervendo”
- Claudinho & Buchecha "Conquista"
- Gera Samba “É o tchan!”
- Oasis “Wonderwall”
- Jota Quest “Encontrar Alguém”
- Tiririca “Florentina”

O mercado fonográfico nacional pegando fogo, gravadoras contratando e era o auge da moda em misturar rock com ritmos brasileiros, tudo por conta do sucesso de CSNZ e Raimundos. Daí apareceu Catapulta, Jorge Cabeleira, Os Virgulóides... Valia qualquer coisa com rock: choro, samba, frevo, capoeira... O que chegava de coisa ruim na MTV daria fácil pra fazer 3 catálogos de 17.629 páginas em 12 volumes. Mas o que interessa é que o negócio todo estava movimentado. Em SP, além da MTV, tinha as rádios 89FM e Brasil 2000, que eram especializadas em rock, todas as gravadoras e um circuito de shows.

O Pato Fú lançou Tem Mas Acabou e “Água” está na lista das mais tocadas. Na sequencia vem uma obra prima do rock dessa geração, o 2º do CSNZ, o Afrociberdelia. A essa altura a banda já tinha caído no gosto até de dinossauros da MPB. Pra mim, o inusitado desse disco é “Criança de Domingo”, do Fellini. Uma vez troquei uma ideia com Chico Science pra entender como ele conhecia Fellini no Recife dos anos 80 e ele disse que a influencia de bandas paulistanas nele era forte e citou várias do underground.

Aí, coincidências da vida, cinco dias depois o mundo livre s/a também lança o segundo disco.

Era tudo ao mesmo tempo agora. Muita coisa acontecendo. 1996 também foi o ano da segunda edição do VMB, e naquela época a premiação, nova em folha, gerava mais correria entre as gravadoras e artistas. Os clipes ajudavam, e muito, nas vendagens de discos e shows.

Em 1995 “Segue o Seco” de Marisa Monte havia ganho 5 prêmios, incluindo o de Melhor Videoclipe do Ano. Justíssimo. Belíssimo trabalho. Quando lançado deixou a todos de queixo caído. Causou uma revolução na produção de videoclipes. Virou referência.

Foram vários os clipes que capricharam na produção. Dois que causaram furor em 96 foram “Garota Nacional” do Skank e “Vem Quente que Estou Fervendo” do Barão Vermelho. O do Skank por causa daquelas gatas todas, seios de fora e bela fotografia. O do Barão chamou a atenção por conta da brincadeira feita com a banda tocando em um tanque d’água que, com os efeitos, a fez flutuar de uma forma que ninguém tinha visto antes. Bela produção. Muito bom!

Outras músicas mais tocadas de 1996:
- Chico Science & Nação Zumbi “Maracatu Atômico”
- Spice Girls “Wannabe”
- The Beatles “Free As A Bird”
- Sepultura “Roots Bloody Roots”
- Jamiroquai “Virtual Insanity”
- Carlinhos Brown “A Namorada”
- O Rappa “Pescador de Ilusões”
- Paralamas do Sucesso “Lourinha Bombril”

Quem ganhou uma grana extra de direitos foi o Hyldon, porque em 1996 Kid Abelha invadiu paradas com “Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda” e Jota Quest, ainda J Quest, explodiu com “As Dores do Mundo”.

Todo mundo tinha grana. Todo mundo estava feliz. Jabaculê com força total!

Raimundos lançou Lavô Tá Novo em 1995, mas foi em novembro. O disco mesmo foi trabalhado em 1996 - com o despretensioso e bem legal clipe de "Eu Quero Ver o Oco". Ainda rolou o maravilhoso 9 Luas do Paralamas, Feijoada Acidente Vol. 1 e 2 do RDP, Rapa Mundi do Rappa, O Silêncio de Arnaldo Antunes, Benzina de Edgard Scandurra.

Titãs voltou, depois de uma pausa, com o disco Domingo. Amado por uns e odiado por outros.

E a Legião Urbana lançou o disco A Tempestade ou O Livro dos Dias, o último com Renato Russo ainda vivo. Na verdade ele morreu logo depois do lançamento, que teve sua finalização adiantada, exatamente para que isso acontecesse. As vozes do disco são vozes guias. É um disco bonito, mas difícil de ouvir, por causa de todo contexto envolvido nele.

Como se vê, a geração da década anterior também estava a todo vapor!

1996 foi um ano agitado, intenso.

PS: Se 1996 foi assim, imagine então 1995! Aqui está ótima reportagem da Superinteressante a respeito de 1995. Vale a pena.