16 de abril de 2007

Ramones no Brasil - 1990

Em 1990 eu trabalhava de assistente de fotógrafo num estúdio na Capote Valente, em Pinheiros. Era relativamente perto do Dama Xoc, uma meia hora a pé, e assim que terminei o trabalho, Johnny Monster me encontrou no estúdio, fizemos algumas fotos para acompanhar uma demo que tínhamos acabado de gravar e fomos ao Dama Xoc. Fomos cedo, creio eu que umas oito da noite e conseguimos ser um dos 1º da fila.
O legal desse dia é que enquanto estávamos na fila, vi um carro passar e Digão (Raimundos) estava nele. Acabara de chegar de brasília só pra ver o show. Foi um reencontro bacana, pois não nos víamos a mais de um ano. Ele inclusive me deu a 1ª demo que Raimundos gravou e me pediu que ajudasse a divulgar. Engraçado que a 1ª pessoa que pensei em entregar a fita, foi o Miranda, mas não rolou. Digão estava com amigos e a namorada. Na hora de entrar ele empacou na porta, pois sua namorada era menor e deu confusão para ela entrar. Queria ficar lá para ajudar, mas como estava cheio os seguranças pediram para eu entrar e acabei me perdendo de Digão. Eu e Johnny achamos um bom lugar numa pequena arquibancada no fundo e de frente para o palco. O Dama Xoc estava lotado, bem acima de sua lotação normal que acho que era de mil pessoas. Na pista era um colado no outro. Foi sacanagem da organização em vender muito mais ingresso. O local estava quente demais. Era o 1º show com CJ Ramone e eu estava ansioso para vê-lo em ação. O show foi muito bom e o que atrapalhou foi a super lotação. Não deu outra e uma pessoa morreu nafrente do palco depois de levar uma tesourada no abdômen (que eu me lembre foi isso). Mas ninguém percebeu isso de tão lotado. O show não parou e foi incrível.
No dia seguinte todos os jornais falaram da morte do garoto e eu não acreditei. Foi muito negativo esse fato e alguns jornalistas mais conservadores queriam que as outras duas apresentações fossem canceladas, o que não aconteceu.
No dia seguinte (sábado), o Dama Xoc estava tomado de policiais e o clima pré-show estava pesado com as revistas bem rígidas.
Mais uma vez o local estava lotado, mas não tanto quanto no dia anterior. Mais uma vez eu estava com Johnny e acabamos encontrando um outro amigo meu de Brasília, o Gão (que inclusive participa do livro O Diário da Turma). Mais uma vez ficamos na parte de cima da pequena arquibancada, mas dessa vez na lateral do palco, bem mais perto dele. Esse segundo show foi bem melhor que o segundo. Eu e Gão não paramos de cantar um segundo e saímos do show completamente sem voz. Sem dúvida, ao lado do 1º show do Ramones em 1987, essa foi a melhor apresentação da banda. O som estava bem melhor que no 1º dia. Memorável!
Os reflexos da fatalidade que aconteceu no 1º dia foi visto no 3º show da banda no Dama Xoc, no domingo. Sem exageros, se tinha 200 pessoas era muito. E num local que abriga mil, então pode se ter uma idéia de como estava vazio. Tão vazio que eu e Johnny ficamos na boca do palco sem ninguém ao nosso lado. Eu inclusive algumas vezes cheguei a me apoiar no palco para ver o show. Fiquei colado no Johnny Ramone e também fiquei colado no Joey. Havia apenas uma rodinha de pogo ao fundo. Parecia show underground de banda desconhecida. Estava tão vazio que no final do show, Johnny Ramone jogou um monte de palhetas no chão e só eu peguei umas quatro sem precisar me debater com ninguém.
Esses três shows foram tão bons quanto os de 1987, pois o som estava bem melhor que na 1ª passagem da banda aqui no Brasil. E essa 3º show vaeu por tudo pois parecia que eu estava numa daquelas 1[ apresentações do Ramones num CBGB vazio. Um privilégio para poucos.

Um comentário:

Anônimo disse...

cara, eu estava nesse 3º show dos Ramones. houve um lapso seu, na verdade os shows foram no ano de 1991.

daniel ik