28 de novembro de 2009

Estúdio 864

Outro dia subindo a avenida Pompéia em São Paulo, relembrei um estúdio que havia lá quando cheguei na cidade em 1987. Era o Estúdio 864 (ou Pompéia 864??), que ficava, claro, na av. Pompéia, 864.

Fui lá umas duas ou três vezes. Não conheço sua história, lembro de ver um dos sócios, mas também não sei sua história e nem lembro de sua fisionomia. Na verdade era um complexo de estúdios, acho que três ou quatro. Lá ensaiava a nata do rock brasileiro do período: Camisa de Vênus, Capital Inicial, Titãs e mais uma penca. Fora artistas de outros gêneros... conheci Chrystian (dupla com Ralf).

Era um casarão grande de dois ou três andares. Os estúdios, cada um ficava em um lugar e eram diferentes em tamanho, equipamento e capacidade técnica. Uns eram só para ensaiar outros tinham sala técnica, mesa de estúdio...

Era bem movimentado, todas as vezes que fui lá havia gente pra tudo quanto é lado. Artistas, equipe técnica, empresários, gente de gravadoras, amigos. Não sei quando ele foi aberto e quando e por que fechou. Nesse dia que conheci Chrystian, estávamos um grupo conversando numa varanda que ficava em frente ao estúdio onde o Titãs ensaiava quando de repente o Branco Mello saiu emputecido do estúdio, abrindo a porta na porrada, pisando firme e dizendo coisas que não lembro mais quais eram. Em seguida saiu mais alguém da banda também puto da vida. Pelo vidro dava pra ver o resto da banda quieta, com cara de quem não estava entendendo nada, um olhando pro outro sem maiores reações. Não lembro, mas acredito piamente que o ‘Jesus Não Tem Dentes...’ ainda não havia sido lançado. Podia ser até ensaio para o disco.
Uma outra vez fui para ver um ensaio do Capital, mas apenas lembro de ter tomado muitas cervejas com Loro. Era um lugar legal e todas essas bandas estavam no auge.

Passando por lá lembrei disso tudo. A casa não existe mais... hoje há um conjunto residencial lá, e agora fiquei curioso para saber de toda a história. Vou descobrir e depois conto ou se alguém souber ponha nos comentários, por favor.

23 de novembro de 2009

Mais do Mesmo 3

Li dias atrás mais uma matéria sobre o futuro da música. Todo mundo querendo adivinhar o impossível. As grandes empresas loucas atrás de um novo modo de ganhar dinheiro com música e a moda agora é falar de música casada com telefonia móvel. Que as gravadoras e as operadoras estão se juntando.

Empresários ficam quebrando a cabeça tentando achar um modo de voltar atrás, de reverter esse negócio de baixar música de graça. Coitados... avisa a eles que isso não tem volta!
Fato é que nada vai adiantar porque se todo mundo já sabe como ter música de graça, então porque pagar? Quem quiser pagar que pague – isso agora é opção. As grandes corporações nunca mais irão ganhar dinheiro como no tempo do vinil ou CD. Isso é passado. Já era. Gravadora é coisa do passado. Caceta. Quando é que vão definitivamente enxergar isso?
Agora já sinto pena dessas ex-grandes gravadoras que estão cegas. Uma prova disso é o novo álbum que Sting acabou de lançar. Sabe qual é o preço? R$ 35,00 (trinta e cinco reais). Isso mesmo!


Isso é uma prova cabal do quanto elas estão fora da realidade. 35 reais!!! Se ainda viesse com ingressos para seu show, ainda vai. Sabe aquelas idosas decadentes, que acham que ainda vivem no glamour dos anos 1950? Tá ficando feio. Tá ficando ridículo.
Gravadora tem que rever os contratos e se transformar, de algum jeito, em agências de entretenimento ou algo do tipo. Eu aqui falo como consumidor, não estou preocupado com o que vai acontecer com todas elas, até porque com gravadora ou sem gravadora eu terei a música que quiser, quando quiser.

Fiz uma pesquisa rápida em listas de ‘lançamentos’ e ‘mais vendidos’. Em alguns lugares eram mais caros e em outros mais baratos. Agora imagine que você ganha um salário mínimo quer é R$ 465,00 e resolve comprar dois CDs:
Adriana Calcanhoto – A Fábrica do Poema R$ 24,65 (uol)
Ana Carolina – Dois Quartos - R$ 39,50 (uol)
Lady GaGa – Paparazzi – R$ 15,92 (uol)
Michael Jackson – This Is It (duplo) – R$ 39,90 (sub)
Shakira – She Wolf – R$ 17,90 (submarine)
Ney Matogrosso – Beijo Bandido (digipack) – R$ 29,90 (sub)
John Legend – Evolver – R$ 24,90 (sub)
NXZero – Sete Chaves – R$ 34,50 (sub)
Vitor & Léo – Ao Vivo e em Cores – R$ 19,90 (fnac)
Ivete Sangalo – Pode Entrar – R$ 27,90 (fnac)
Caetano Veloso – Zii & ZIe – R$ 29,50 (fnac)
Arlindo Cruz – MTV Ao Vivo – R$ 19,90 (fnac)
Gloria – R$ 20,90 (fnac)
Madonna – Celebration (duplo) – R$ 44,90 (fnac)
Dream Theater – Black Clouds... – R$ 29,50 (fnac)
Maria Bethânia – Encanteria – R$ 34,90 (saraiva)
Seu Jorge – América Brasil – R$ 24,90 (saraiva)
Joss Stone – Colour Me Free – R$ 29,90 (saraiva)
Elas Cantam Roberto Carlos (duplo) – R$ 49,90 (saraiva)

18 de novembro de 2009

A igreja católica e o sexo

A inquisição foi tão cruel quanto o nazismo. Esses dois acontecimentos são manchas muito negras na história da humanidade.

Engana-se quem acha que todo padre é santo ou que tenha apenas boas intenções. O ato de se confessar nada mais é do que uma invenção da igreja católica durante a inquisição exatamente para saber dos podres da população, dos burgueses, dos nobres e até mesmo dos reis e rainhas. Essa era uma forma de deixar todo mundo de rabo preso com a igreja. A partir das confissões os batutas eclesiásticos faziam seus subornos e conseguiam seus desejos mais sujos.

Dizem (e acredito piamente) que os padres não casam para que não haja divórcios e bens pertencentes à igreja sejam dados as ex-esposas. Ninguém nunca falou que padre não pode casar isso não está explícito em nenhum texto sagrado. Pelo contrário, o casamento é uma instituição bela, muito bem vista e quista por Deus. Há quem diga que passagens da bíblia afirmam o celibato, mas aí é um lance de interpretação. E a igreja católica é fera em dar interpretação errada aos textos sagrados (assim como outras tantas igrejas evangélicas).

(‘Celibato’ segundo o dicionário Aurélio: Estado de uma pessoa que se mantém solteira.)

Agora pergunto: quem acredita que padre passa a vida inteira sem fazer sexo? Todos que lêem um pouquinho de jornal sabem o quanto o Vaticano gasta em indenizações em casos de pedofilia, gravidez indesejada, estupro, entre outros absurdos que a igreja católica tenta esconder.

Também não há em nenhum lugar escrito que padres não podem fazer sexo. O sexo é bom, faz bem ao corpo e a mente e é absolutamente necessário para nosso dia a dia. A troca de energia durante o sexo é fundamental para nosso equilíbrio.

O pior não é só a mentira em que vive os eclesiásticos, pior são coisas como a proibição do uso da camisinha. Isso está fora da realidade. Certamente é por isso que existe tanto padre que é pai.

Fico me perguntando até quando a igreja católica vai viver nessa mentira que ela vive – não só em relação ao sexo, mas em relação a tudo. Padres são sujos, falsos e hipócritas (obviamente existem os de boa índole, mas são poucos). Há padres homossexuais, há padres bissexuais, há padres pedófilos, há padres viciados, afinal, todos eles, incluindo o papa, são antes de tudo seres humanos imperfeitos como nós. Perfeito nesse planeta só foi Jesus Cristo.

Para finalizar lembro que Jesus entrou em Jerusalém em cima de um jegue, pelos fundos da cidade, sem alarde e sem chamar a atenção, pois ele pregava acima de tudo o amor e a humildade. O papa quando viaja e chega a seu destino faz completamente o contrário: além de viajar em seu próprio avião, faz questão de tocar todas as trombetas e descer em tapete vermelho.

Quem é hipócrita?

12 de novembro de 2009

Filhos de Mengele Faz Escola

Olha aí o Filhos de Mengele fazendo escola (claro que por conta do Raimundos que gravou essa no Cesta Básica)! Das três versões que recebi essa me chamou a atenção pelo baixista tocando com o dedo. Coragem do cara. Filhos de Mengele é palheta!!!

7 de novembro de 2009

Geração Cobaia


Por conta de um trabalho rápido, passei a semana escutando o rock brasileiro dos anos 1980. Sei o tanto de gente que rejeita essa geração e mais até, rejeita o próprio rock brasileiro.

Vá lá que obviamente o rock brasileiro não chega aos pés do americano ou inglês, mas tem alguuumas coisas muito boas, interessantes e que inclusive deixa os gringos no chulé.


O grande problema da chamada geração 80, na verdade, nem é ela e sim as gravadoras e a estrutura que essas majors davam aos novos artistas do rock. E nem era ‘problema’, mas sim ‘problemaS’.

(Antes abro um parênteses para dizer que aqui falo da geração Gang 90 adiante, não contando assim artistas como A Cor do Som, Rita Lee, Rádio Táxi)

Quando essa geração começou a gravar, por volta de 1981-82, não havia estúdio para rock, acústica para rock, microfones para rock, e nem produtores especializados em rock. As gravadoras não sabiam o que fazer com as bandas. Sabiam que tinham que tê-las, pois era o momento, mas não sabiam trabalhar com elas.

Se você pegar algum integrante dessas bandas que gravou seus discos principalmente entre 1981 e 1986 para contar as histórias de estúdio e relação com gravadora, você certamente dará muita risada do que um dia gerou muita raiva.

Essa rejeição pelo rock dos 1980 é muito por conta desse amadorismo que era latente da base ao topo da pirâmide dessas multinacionais. A má qualidade das gravações, os timbres dos instrumentos e das vozes, a acústica, a mixagem. Era tudo horroroso. As gravadoras tinham medo das guitarras distorcidas e a impossibilidade de se chegar ao timbre desejado gerava muita dor de cabeça.

Dois guerreiros dessa geração são Pena Schmidt e Liminha. Pena ajudou André Midani a criar um casting jovem para a Warner e Liminha com o Nas Nuvens levou tecnologia de ponta para o Rio de Janeiro. E os dois, acima de tudo, entendiam de rock e fizeram ao máximo para suprir
todos esses defeitos que descrevi ao longo desse texto.

Mas mesmo marcada por essa má qualidade técnica, há discos dos 1980 muito bons, de se tirar o chapéu (rapidamente listei uns 12 que escuto até hoje numa boa). Dois desses primeiros de que gosto muito são ‘Os Maiores Sucessos de João Penca e Seus Miquinhos Amestrados’, de João Penca... e ‘Essa Tal de Gang 90 & Absurdettes’, da Gang 90 & Absurdettes. Ambos lançados em 1983 e muito provavelmente gravados em 1982.

Para finalizar, digo que é para não confundir qualidade técnica ruim com a qualidade da banda e do repertório. Muitas dessas bandas prejudicadas conhecemos muito bem como é o caso do Titãs, Paralamas, Barão, Legião que seus primeiros discos são tecnicamente ruim de dar dó, mas ao vivo era outra história.

5 de novembro de 2009

Acaba em pancadaria lançamento de "Honoráveis Bandidos" em São Luís

Folha on Line - 05/11/2009
Sérgio Ripardo
http://www1.folha.uol.com.br/folha/livrariadafolha/ult10082u648388.shtml



Terminou em tumulto e pancadaria o lançamento do livro "Honoráveis Bandidos - Um retrato do Brasil na era Sarney", na sede do Sindicato dos Bancários, em São Luís (MA), na noite de última quarta-feira.
A noite de autógrafos de Dória foi marcada para ocorrer na sede do sindicato, porque as livrarias do Maranhão se recusaram a lançar a obra, como
antecipou a Livraria da Folha, no mês passado.

Segundo o sindicato, estudantes ligados à família Sarney jogaram ovos e uma torta na direção de Dória, em protesto contra o livro. Houve também uma discussão entre os participantes do evento e os manifestantes.

Em nota, o Sindicato dos Bancários do Maranhão condenou a violência.
"Os atos de vandalismo provocado por 10 a 15 baderneiros, quando da ocasião de lançamento do livro 'Honoráveis Bandidos' do jornalista Palmério Dória, nessa quarta-feira(04/11) em nossa sede, relembra os tristes fatos históricos das décadas de 50 e 60 em nosso Estado, que acreditávamos sucumbidos. Naquela época, prevalecia no Maranhão a lei da força bruta, da intolerância, em que as diferenças eram resolvidas pela pancadaria", citou a nota.


O sindicato informou que, durante a pancadaria, o patrimônio da entidade foi prejudicado:
"A categoria bancária se sente violentada por ter itens de seu patrimônio, conquistado com a contribuição sindical de anos e de gerações de trabalhadores, destruído, quebrado (porta principal, cadeiras, quadro). O valor financeiro de uma nova porta para a entrada da sede de nossa entidade não nos entristece mais do que ver a instituição Sindicato dos Bancários do Maranhão, espaço democrático de tantas categorias, desrespeitada de forma desmedida pelos baderneiros."


Os diretores do sindicato disseram ainda esperar que a polícia apure e puna "exemplarmente os vândalos, que agem em interesse próprio ou de terceiros, de forma que não se sintam estimulados a usar a violência, fruto da intolerância e da antidemocracia".

Intimidade sexual
Além de detalhar todos os escândalos envolvendo o clã do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o livro, que está entre os mais vendidos no país, dedica um capítulo (nº 8, "O lado feminino") só para falar sobre as intimidades da família e de seu patriarca.


Na página 91, Dória escreve: "Sarney achou que seus sonhos poderiam concretizar-se em Nova York - o senador delirava só em pensar na realização de seu fetiche sexual: lambidas em seu hálux, ou, na linguagem popular, o dedão do pé. E rumou esperançoso para a capital do mundo ocidental, entre os convidados da Globo para a entrega de um daqueles prêmios internacionais, em tempos de boca-livre total."

"Não vi, não li, não me interessa", disse Sarney à Livraria da Folha sobre "Honoráveis Bandidos".



Livro: Honorários Bandidos
Autor: Palmério Dória
Editora: Geração Editorial
208 pág - R$ 29,90
Pode comprar atráves do 0800 140090

3 de novembro de 2009

Fim do Mundo???

A revista Veja desta semana traz na capa uma reportagem sobre o fim do mundo aproveitando a estréia do filme 2012.

Os amigos mais próximos sabem que sou espírita, que estudo e me preparo para num futuro muito próximo ajudar a outros estudarem. Este blog inclusive foi criado com a intenção de ser um blog sobre espiritismo, tanto é que existem alguns poucos post iniciais sobre esse tema. O que escreverei aqui é baseado em meus estudos, leituras e, claro, meu próprio ponto de vista.

É óbvio e ululante que o planeta Terra vive constante mutação desde que ele surgiu a quinqualhões de anos atrás. Primeiro era uma bola de fogo e como todos sabemos, o calor evaporado provoca chuva. Assim, durante centenas de milhares de anos essa bola de fogo viveu nesse esquema de fogo, calor e chuva.

Como a lava do vulcão que em contato com o frio vira pedra, a mesma coisa

foi aos poucos acontecendo com o planeta: a constante chuva fez o planeta virar uma bola de pedra que prendeu o calor dentro dela.

Essa crosta terrestre que se formou a princípio era uma única placa, mas com o calor interno, essa placa foi se dividindo, se juntado, se dividindo, se juntado, até finalmente chegar a essa configuração atual que conhecemos com 6 continentes (Asia, América, África, Antártica, Europa e Oceania).

Todas essas mutações históricas que estudamos na escola, elas continuam e um dia muito provavelmente o Rio de Janeiro estará embaixo d’água e o deserto do Saara será um oceano. Isso vai acontecer, mas pode ser que nem o bisneto do meu bisneto tenha ainda na

scido. Atividades vulcânicas, terremotos e tsunamis são uma prova concreta disso. Pegando um exemplo já dado, pergunto: o quanto de praia/areia Copacabana já não perdeu? Isso é visível até mesmo aqui emSão Paulo em praias do Guarujá.

O calor no centro da Terra é constante e os vulcões em atividades nada mais são do que 'válvulas de escape da pressão interior'. O que seria da camada terrestre sem os vulcões?

Como tudo na vida, é claro que um dia o planeta Terra irá acabar. Assim como um carro velho que sai de circulação, um liquidificador que é muito usado e pifa e nós mesmos seres humanos que envelhecemos e pifamos. Mas não é que, de repente, em 21 de dezembro de 2012, a Terra vai rachar e explodir por conta de um grande terremoto ou sei lá o quê acontecerá.

Todas essas mudanças são provocadas também por um fato que não foi e nem será percebido por nós. De tempos em tempos, acho eu que a cada 10 mil anos ou por volta disso, o eixo ao qual o planeta Terra gira, se desloca, muito pouco, mas se desloca causando uma série de transformações.

Pra mim, além desse fato do planeta naturalmente um dia acabar, e se transformar através de tsunamis, terremotos e outros fenômenos da natureza, os desencarnes coletivos também estarão ligados a doenças que surgem de tempos em tempos, como a gripe espanhola, hiv e diversos outros vírus fatais.

Pelamordedeus, tudo que falei aqui é muito por cima, um breve relato de quem ainda tem muito a estudar e entender. Existem inúmeros livros e estudos sobre esse tema. Se quiser de fato conhecer melhor procure outras fontes. O que posso sugerir aqui, ligado a doutrina espírita, são os livros A Gênese e algumas passagens d’O Livro dos Espíritos, os dois de Alan Kardec.

Não, não sou um pessimista, de forma alguma. Aqui estou sendo realista e também cada um acredita no

que quiser, cada um tem sua teoria. A minha é essa, pois fico pensando de como será em 2030, se hoje, no caso aqui em São Paulo, já está em total desordem. Alguma coisa precisa ser feita e se formos depender de nós e de quem nos governa, estamos fritos.

Digo aqui que você poderá continuar tranquilamente a fazer seus planos e os planos de suas próximas gerações. No dia 20 de dezembro de 2012 não precisa sair correndo, saqueando e quebrando tudo como se não houvesse amanhã. Não precisa já comprar kits de sobrevivência e construir um abrigo subterrâneo.

PS: Esse post também será válido no dia 22 de dezembro de 2012.