8 de janeiro de 2011

Mais do Mesmo 5 (Falta Conhecimento)

Nesses dias de folga li uma matéria com Fresno. Não é que eu goste de falar mal dos outros ou coisa assim. Não, não gosto. Com certeza não gosto. Mas tem coisas que não dá para deixar passar batido, até porque se trata de algo que já falei, já mostrei, e volta e meia acontece de alguém me dar provas cabais sobre o que escrevo nessas postagens intituladas ‘Mais do Mesmo’. Uma pequena declaração me inspirou a mais esse texto.

Eu disse aqui que o que faz essa nova geração de bandas de rock ser bem fraquinha é o fato de não ter o mínimo de conhecimento no assunto e, por isso, trata-se de uma geração que jamais terá respeito, jamais será levada a sério. O que todas essas bandas passam é a vontade de ser famosas, de se tornar celebridade e a música fica em 2º, 3º e até 4º plano.

Axl Rose
Logo no início da reportagem, Tavares (gui) diz que hoje os jovens “sonham em ser Justin Bieber, em vez de sonhar em ser Axl [Rose]”. Não sei quantas pessoas perceberam aí a limitada influência explícita na frase. A frase correta deveria ser “sonham em ser Justin Bieber e Axl Rose, em vez de sonhar em ser Angus Young ou Paul McCartney”.

Sonhar em ser Axl Rose é um erro brutal, afinal quem é Axl Rose senão um poser mimado e egocêntrico? Antes do loiro poser há um mar de rockers que são anos luz mais significativos, citando alguns poucos: John Lennon, Ozzy Osbourne, Chuck Berry, Jello Biafra, Michael Stipe, Jimmy Page, The Edge, Elvis Presley, Little Richards, Robert Fripp, Eric Clapton, Jerry Garcia, Jimi Hendrix, Ray Manzarek, Dee Dee Ramone, David Bowie, Iggy Pop, Lou Reed, Bob Mould, Eddie Van Halen, Ray Davies, David Byrne, Peter Gabriel, Roger Waters, Andy Partridge, John Lydon, Brian Eno, Jerry Lee Lewis.......
Rolling Stones
A matéria que li é estranha, porque forçadamente a banda quis passar um ar de rebelde, de amadurecimento, algo do tipo “não somos emos, não fazemos apenas canções de amor choramingadas”, e não colou, até porque ao escutar Quarto dos Livros seguido de Revanche, não se percebe evolução na composição e no texto. Continua tudo igual. A banda continua mudando a acentuação das palavras para encaixá-las em uma melodia fraca. As letras continuam rasas e falando de amor e com rimas pobres. A impressão que fica é que de 2003 para 2010 a banda não escutou nada de novo, não leu nenhum livro.

Se os integrantes querem fugir desse estigma de bandinha de rock emo, então deve arriscar. Mas o próprio grupo assume o medo quando diz que chegou com um álbum e mudou de idéia quando Bonadio disse que o público não iria gostar dele. E daí? Arrisca, chuta o balde, experimenta, erra, se fode, aprende, erra de novo, estuda, encara. Não vejo porrada sendo a tônica do álbum como um deles afirma. E nem vi nada de diferente, a não ser duas ou três composições bem parecidas com Foo Fighters.
Gang of Four

Não me venha falar em mudar a imagem da banda, de tatuagens, problemas de adolescentes, fazer cara de mal, se o que é mais importante não muda, não sustenta essa imagem. Logo a primeira faixa de Revanche há um trecho da letra que diz “trancafiado nesse quarto escuro / ainda sim me sinto mais seguro”, quer algo mais emo que isso?

Disse e repito: essas bandas não me incomodam, pois são focadas em um público infanto-juvenil, incomodam sim quando pedem para ser levadas a sério, e roubam espaço de quem merece mais atenção. Escutando Revanche e lendo entrevistas e reportagens, dá pra ver que a banda ainda está 10 mil abismos de merecer ser levada a sério. E o início para isso é conhecimento.

Estou agora lendo a biografia de Keith Richards que acabou de sair (logo escrevo sobre ela) e você vê o prazer dele em falar de seus ídolos, os detalhes que descobre apenas ouvindo-os, do conhecimento musical que tem.

REM
O conhecimento que falo não é o forçado, mas sim o prazeroso, aquele que é conseqüência de algo que você gosta muito. Moleque eu adorava Sex Pistols e a banda me levou a nomes como The Who e Eddie Cochran, que me levaram a outros e que me levaram a outros e assim fui aprendendo e conhecendo com gosto e naturalidade.

Não dá para acreditar ao ver essas bandas que já estão aí por no mínimo cinco anos não apresentarem evolução musical. Isso você vê em qualquer outra banda de respeito: Beatles, Led Zeppelin, U2, Metallica, Rolling Stones. Artistas que viviam buscando o novo, experimentando, arriscando e disso sair coisas ótimas e outras nem tanto. E vai conversar com esses caras pra ver o banho de conhecimento musical que você vai tomar. Mais que isso, vai ver o conhecimento literário, artístico, político, social que todos eles têm.

9 comentários:

Anônimo disse...

vai se ferra. o axl é foda demais e eu aposto que vc nao faz metade do q ele ja fez.

Paulo Marchetti disse...

eu não fiz metade do que ele fez porque não sou músico. assim como ele não fez metade do que eu fiz por não ser jornalista.

Luiz Felipe disse...

Aonde eles disseram que mudaram de idéia quando Bonadio disse que o público não iria gostar do cd?

E cara, goste você dele ou não, o Axl é um dos roqueiros mais conhecidos, então é normal ele ser usado como referência, várias e várias bandas fazem isso. Então quer dizer que só pelo fato do Tavares ter citado o Axl, ele não entende nada de música? Pelamor...

Ah, e é óbvio que tem muita coisa no rock que eles não conhecem e nunca ouviram, afinal, ninguém é obrigado a conhecer tudo. Assim como eles tem várias influências das quais você provavelmente nunca ouviu falar. Acho idiota dizer que eles não tem conhecimento por não citarem esse ou aquele artista.

E Fresno também me levou à ouvir várias bandas, como The Get Up Kids e Sunny Day Real Estate, que me levaram a outras, ou seja, o que você disse sobre o Sex Pistols também pode ser aplicado à eles. Acho que você precisa conhecer um pouco mais a banda, porque lendo o texto dá pra ver que você tem uma visão superficial e preconceituosa sobre eles.

Luiz Felipe disse...

E sobre o Revanche, a evolução musical deles é clara. Como assim dá a impressão que eles não ouviram nada novo de 2003 pra cá? Impossivel não perceber a influência de Muse, Coldplay, Emery, entre várias outras bandas que antes obviamente não serviam de influência para eles. E sim, ainda tem algumas letras que falam sobre dor de cotovelo, mas é como o Lucas disse: "Isso é uma coisa que vai de encontro com 90% da produção pop/rock no mundo, e mesmo assim as pessoas reclamam"

Paulo Marchetti disse...

http://setedoses.blogspot.com/2010/09/idolos-de-barro-e-idolos-de-aco.html

Luiz, entendo a importância de Axl Rose para você e para Tavares. Tudo bem.

O que é preciso entender é que este blog, que é meu, expressa minha opinião e meu ponto de vista. Eu vou morrer com a certeza de que Axl Rose é insignificante para a história do rock (até Jon Bon Jovi é mais importante que ele!).

Pra mim Axl não é referência para nada positivo. É só lembrar de Chinese Democracy.

Como diz Lobão: "é tudo pose".

Bruno disse...

Baita texto.

Paulo Marchetti disse...

Obrigado Bruno.
abç

Anônimo disse...

Bem legal o texto, é fato q para as bandas de hoje além de qualidade, falta conhecimento.Veja por exemplo entrevistas de Humberto gessinger, Renato Russo, Dinho ouro preto,Herbert vianna, Lobão...dá pra sacar na hora o conhecimento musical q esses caras tem de bandas,artistas, cultura pop, agora vai ver a maioria desses de hj?? o cara só conhece axl rose, e mais uma ou outra coisa clichê e já era, vai perguntar pra ele quem foi sid vicious, eric clapton, roger waters e tantos outros.E infelizmente o pensamento q domina hj é o "Ninguém é obrigado a conhecer tudo" ou seja cada vez menos, para entender de rock e saber fazer rock cada vez menos conhecimento basta..daqui a pouco vamos ver "ídolos nacionais do rock" q só conhecem sweet child o'mine e ainda vão ser considerados grandes entendedores do assunto e que fazem um bom rock que merece ser levado a sério,como disse o seu texto aí...

Anônimo disse...

verdade falta muito conhecimento musical se vc para para ver eles estão preocupados em sair nas capas de revistas teen e esquecem totalmente da musica para mim não passa de um lixo um baita de cuzão fingindo que é macho, mais nada verdade não sabe nada, esses merdas ai não tem nem raul, cassia, renato,cazuza como inpiração como pensar que um dia vão szer levados a serio se não levam a serio o que fazem UM CONSELHO. FICA BEBADO, PEGA O LED ZEPPELIN 4 AUMENTA NO ULTIMO E OUVE AI SIM QUEM SABE CONSEGUE FAZER ALGO BOM, falta influencia Rock n roll mesmo