17 de agosto de 2012

A Verdade Sobre os Cangaceiros Butch Cassidy e Sundance Kid

Essa é mais uma história que publiquei em 2001 no falecido tantofaz.net, onde eu era editor de música.


Sentados: Sundance (esq) e Butch (dir)
Encurralados nos Estados Unidos, Butch Cassidy e Sundance Kid acabaram fugindo para a America do Sul. Daí começou uma andança por Argentina, Peru, Chile e Bolívia.

Saíram dos EUA com a roupa do corpo, seus cavalos e suas armas. Mas quando entraram no México, em direção a Hermosillo cruzaram com uma diligência abarrotada de dinheiro e, de assalto em assalto, rodaram pelo México por uns 3 ou 4 meses: Durango, Guadalajara, Cidade do México e Villahermosa. Se divertiram pacas, roubaram e gastaram muito dinheiro. Aconteceram festas, orgias. Em muitas cidades circularam na alta sociedade, colocaram chifres em homens muito importantes. Roubavam as casas que freqüentavam e assaltavam bancos ao saírem das cidades.

Saíram do México também procurados e carregados de joias valiosíssimas. Passaram por Guatemala, El Savador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Panamá até, enfim, chegarem na Colômbia. Por todos esses países fizeram a mesma coisa que no México, e entraram na América do Sul bastante feridos de uma briga que arrumaram em uma fazenda que ficava exatamente na divisa entre Panamá e Colômbia. Além dos hematomas causados por socos e chutes, Butch havia tomado um tiro na batata da perna esquerda. Doía muito, mas não podiam parar até terem certeza de que não havia ninguém mais atrás deles. Quando finalmente isso aconteceu Sundance pôde finalmente parar e retirar a bala da perna de Butch. Foi de uma maneira um tanto desastrosa por também estar muito ferido e dolorido, mas conseguiu extraí-la. Dormiram ali mesmo no chão, do jeito que estavam.

Butch Cassidy
Cansados, foram parar em Junín, na Argentina, perto de Buenos Aires. Até lá não praticaram nenhum assalto. Estavam se garantido com as joias roubadas recheadas de diamantes e outras pedras valiosas, além de quase 15 mil dólares (o que pra época era muita grana). Chegaram lá em 1901, Butch estava com 34 anos e Sundance, com 30.

Em Junín ficaram quietos. A idéia era ir para Buenos Aires, mas havia receio de que pudesse ter gente da polícia de outros países por lá. Uma namorada argentina de Butch foi ao encontro deles em Junín. Lá ficaram por seis meses, indo esporadicamente à Buenos Aires, até que finalmente, se mudaram para a capital argentina e, perto de lá, compraram uma fazenda onde ficaram confortavelmente até acabar a grana.

Isso aconteceu no final de 1906, na mesma época em que a namorada de Butch adoeceu e resolveu voltar para a casa dos pais. Evitando as grandes cidades Butch e Sundance fizeram ao menos quatro assaltos na Argentina até entrarem no Chile. Lá fizeram a mesma coisa e foram subindo. Havia momentos de calmaria, quando paravam em algum lugar pequeno e ficavam por um ou dois meses. Por fim, saíram do Chile (perseguidos) e foram para Bolívia. Passaram por Laguna Verde e Laguna Colorada até chegarem a San Vicente, já perseguidos por um número cada vez maior de policiais. Lá aconteceu o tiroteio derradeiro de Butch Cassidy e Sundance Kid, exatamente como se relata na história e no filme estrelado por Paul Newman e Robert Redford. Estavam em um hotel descansando de uma fuga e tudo aconteceu.

Familiares de Butch dizem que eles não morreram. Não foi entregue os corpos dos bandidos, e não há qualquer tipo de registro de suas mortes: papeis, fotos, caixão, cemitério, absolutamente nada há que prove concretamente que Butch Cassidy e Sundance Kid tenham morrido em uma emboscada na Bolívia. A entrada deles no país é fato, assim como é fato que não ocorreram mais assaltos por lá após a passagem por San Vicente. Esses mesmos familiares dizem ter recebido diversas cartas tanto de Cassidy quanto de Sundance.

A verdade é que na Bolívia ninguém sabia como eram Butch e Sundance, os retratos falados eram diferentes, e os corpos furados de balas e achados na pensão foram suficientes para a polícia boliviana declará-los mortos, sem ao menos fazer qualquer tipo de documentação. Eles foram enterrados ali perto, sem qualquer cuidado. Isso aconteceu em novembro de 1908.

Butch Cassidy e Sundance Kid chegaram até San José de Chiquitos e de lá seguiram para o Brasil. Era dezembro de 1908, Butch estava com 42 anos e Sundance com 38. Estavam com bastante dinheiro e queriam ficar o mais longe possível de Argentina, Chile e Bolívia.

Uma vez em Buenos Aires eles conheceram alguns empresários brasileiros que passaram um final de semana na cidade, mas a única informação que tinham desses brasileiros era de que eram do nordeste do Brasil. Com isso olharam no mapa, viram que era bem distante e rumaram pra lá, pensando que seria fácil achar esses amigos que tinham conhecido em 1904.

Antônio Silvino é o 2º em pé (esq p/ dir)
Chegaram a Cuiabá (MT). Como não queriam perder tempo, foi apenas uma passagem rápida de uma noite para seguir viagem. Não queriam ser reconhecidos caso chegasse, nas cidades brasileiras, avisos de busca. Assim foram passando por cidades como Diamantino, Sinop (quando ainda era uma grande fazenda) e Vila Rica. Entraram em Tocantins, mas só foram parar para descansar mesmo em Piauí, mais precisamente em Canto do Buriti.
Antes de lá, durante a fuga da Bolívia eles paravam em pequenas cidades, vilas ou até mesmo fazendas, por no máximo dois dias. A história que contavam pra todos era a mesma: que eram americanos que foram tentar a sorte em minas de ouro na Argentina e Chile foram enganados e estavam indo para o nordeste com a mesma promessa de ouro. Quando perguntavam em que estado, eles apenas falavam que “era no nordeste”. Se viravam com a língua pelo tempo que ficaram na America do Sul e em Buenos Aires.

Até chegarem a Piauí eles não sabiam que tinham sido dados como mortos. Só souberam dias depois de terem chegado a Canto do Buriti. Com uma boa grana guardada, eles logo compraram terras nos arredores de Cabrobó, em Pernambuco. Passados três meses, os dois resolveram ir à Recife.

No caminho foram assaltados e perderam todo o dinheiro e os cavalos. Seriam dois dias de caminhada até Arcoverde, a cidade mais próxima. Seria, caso alguns homens do temido cagaceiro Antônio Silvino não cruzassem com Butch e Sundance. Eram cinco homens bêbados que resolveram tirar uma com “los gringos”.

Em um vacilo de bêbados, os dois inverteram a situação, tomaram as armas e botaram todos no chão. Pegaram dois cavalos, algumas das armas e disseram ser tudo emprestado e que tudo estaria no Recife. Não demorou muito para que o próprio Antônio Silvino e seu bando encontrasse os amigos americanos. O temido cangaceiro não despertou medo algum nos dois, o que era de se espantar, mesmo para forasteiros. Mas como estavam alienados, pra eles eram bandidos comuns. Mas Silvino não estava lá com más intenções, queria mesmo era conhecer os dois que deixaram cinco de seus bons homens no chão (mesmo bêbados eram perigosos).

Silvino no centro. O dia de sua prisão.
Entre doses de cachaça, conversa vai conversa vem, Butch Cassidy e Sundance Kid acabaram se tornando parte do bando. Ganharam a roupa típica do cangaceiro e junto passaram a aterrorizar o sertão pernambucano. Assumiram para o temido cagaceiro que eram procurados nos EUA, mas não disseram da passagem pela Argentina e nem das terras em Cabrobó.

Passaram três juntos com o bando. Isso mudou o rumo da história, pois os bandidos americanos ensinaram aos cangaceiros a atirar melhor, a brigar, a cavalgar entre outras coisas que acabaram se tornando fundamentais para as constantes vitórias nos conflitos com a polícia, desde sempre despreparada. Os dois forasteiros americanos se tornaram uma lenda entre os cangaceiros e assim que começaram a ser falados pela polícia, resolveram abandonar o cangaço. Era 1910, Butch estava com 44 e Sundance estava com 40 anos. Para eles era hora de se aposentar. Tinham saído das novas terras par ir à Recife e voltar em poucos meses e acabaram ficando quase 4 anos fora. Tinham dinheiro, joias e outros bens enterrados.

Quando resolveram ir embora, estavam na Bahia. Cangaceiros de Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Piauí fizeram uma grande festa e nela a dupla americana de amigos resolveu se despedir. Tranquio (como era chamado Butch Cassidy por dizer muito “thank you”) e Rapizé (Sundance Kid, por causa da palavra “happy” – Kid ria muito por não entender o que falavam) foram embora, deixando todos tristes. Para todos disseram que iam para o Ceará mas, na verdade, foram para Cabrobó. Agora queriam ficar quietos, arrumar uma mulher, construir família e plantar milho.

Butch Cassidy e Sundance Kid foram vistos no Brasil pela última vez no teatro São José, no Rio de Janeiro, na estreia da peça Forrobodó, grande sucesso da época, com música de Chiquinha Gonzaga. Diz à lenda que após a peça, Butch e Sundance foram à festa onde estava Chiquinha Gonzaga, se conheceram e passaram boa parte do tempo conversando. Chiquinha queria saber sobre os costumes americanos e, dessa conversa, encantada pelas descrições da beleza brasileira feita pelos dois amigos, surgiram os sucessos “A Brasileira”, “A Mulatinha” e “A Sertaneja”.

Os mais velhos da região de Cabrobó dizem que depois da prisão de Antônio Silvino em 1914, os americanos resolveram se arriscar e voltar para os Estados Unidos. Familiares dos famosos bandidos americanos dizem que Sundance Kid morreu em 1936, aos 66 anos; e Butch Cassidy morreu em 1938, mesmo ano do fim do cangaço e da morte de Lampião.

3 comentários:

Anônimo disse...

Estou fazendo uma pesquisa e queria saber se isso é realmente verdade.

Balan Brazil disse...

Passaram por SINOP? Gostaria de saber como, já que SINOP foi fundada em 1974...

Paulo Velho disse...

Linda estória, adorei mesmo, bem mais interessante que o filme, daria uma trilogia linda!!!