9 de maio de 2010

Sid Vicious Hoje - Parte 1 de 2

Em 10 de maio Sid Vicious completaria 53 anos. Como ele estaria? Eu imaginei o improvável... (será?)

Se quisesse Sid Vicious poderia estar muito bem ao lado de seus companheiros nessas eventuais reuniões do Sex Pistols. Gordo como Steve Jones, estaria ainda com seu cabelo espetado e fazendo aquela careta com a boca torta, mas agora com um papo e pés de galinha. No entanto preferiu se afastar da mídia, e mesmo assim é um dos compositores que mais arrecadam direitos autorais no mundo. Eis aqui a verdadeira história de Sid Vicious:

Logo depois de sair da prisão por causa da acusação de ter matado sua namorada Nancy Spungen, Sid Vicious estava decidido a dar outro rumo para sua vida. O tempo que ficou preso foi sofrido. Sentiu dores, se debateu, tentou suicídio, teve febres altíssimas, mas a medida que o tempo passava e o sofrimento também, com a cara limpa, ele resolveu dar um basta nas drogas. A vontade agora era de aprender a tocar de fato. Não estudar, mas ter mais conhecimento de guitarra e violão pra poder compor.

Até então ele só havia assinado três músicas do Sex Pistols, mesmo assim junto com os outros três e por uma questão de estratégia e não por ter participado efetivamente da composição, tirando um pitaco ou outro.


Sua mãe foi buscá-lo na delegacia e já no taxi ele tentou já falar de sua mudança, mas sua mãe não deixou: “Espere a gente chegar em casa pra conversarmos”. A ansiedade dele estava no fato de Sra. Anne também ser usuária de heroína.

Assim que pisou em casa lá estavam diversos amigos festejando sua chegada. Todos estavam muito felizes, mas três precauções foram tomadas: não foram convidadas as garotas que costumavam dar em cima de Sid e ninguém iria falar sobre Nancy. Pelo sim, pelo não, tudo deveria partir dele.

Não demorou mais que 10 minutos para oferecerem a ele álcool, maconha, cocaína, heroína e outras bolas. A única coisa que aceitou foi cerveja. Assim que ele recusou as drogas, os que estavam ao seu lado ficaram pasmos e essa reação foi sendo passada pra todos que estavam no apartamento. Sid aproveitou esse momento pra falar de seus novos planos:
“Gente, não quero parecer nenhum padre, mas já que estão todos pasmos digo à vocês que não quero mais tomar nada forte. Essa cerveja aqui já está sendo difícil, mas como bom inglês não resisto. Não quero mais saber de heroína, anfetamina ou qualquer outra coisa química. Respeito quem usa, isso não muda, mas quero que todos vocês respeitem minha decisão e me ajudem a me manter assim. Passei poucas e boas quando estava preso...” Sid Vicious sentou numa poltrona, e todos se acomodaram pra escutar as histórias da prisão e de seu sofrimento pela abstinência.

Os dias que se seguiram Sid, óbvio, foi seguido insistentemente pela imprensa, mesmo depois da coletiva que deu exatamente para acabar com essa perseguição. Durante um jantar ele confidenciou a um amigo de sua mãe que já estava de saco cheio de ser observado o tempo todo. Pra ele a sensação era de que estava todo mundo esperando Sid aparecer caído em algum lugar, doidão de heroína; ou então que matasse mais alguém. Esse amigo, por coincidência tinha uma fazenda que ficava perto da cidade de Niagara Falls (na frointeira com Canadá) e que se ele quisesse poderia ficar lá por um tempo.


Sid gostou da idéia, mas precisava de grana. Foi então que a Virgin o procurou querendo lançar em disco o show que ele havia feito em 1978 no Max’s Kansas City, acompanhado pela banda The Idols com Barry Jones (ex-The Selecter), Steve Dior, Arthur Kane (New York Dolls) e Jerry Nolan (NYD). Pra ele caiu como uma luva porque estava se vendo quase obrigado a fazer alguns shows, coisa que não queria fazer naquele momento. Ganhou uma boa grana da gravadora, comprou algumas coisas que queria como, por exemplo, uma guitarra e acessórios.

A fazenda era em um lugar tranqüilo, bem equipada, grande e tinha um visual maravilhoso. Sid costumava brincar falando que era sua fazenda hippie. Não era um isolamento social, mas sim uma fuga da imprensa, que realmente se afastou. Ele costumava receber os amigos e chegou até a juntar o The Idols novamente. Todos ficaram na fazenda por uma semana tocando o dia inteiro. Fizeram planos para os próximos meses, mas nada foi adiante e não por falta de vontade de Sid.

Dois meses depois de ter saído de Nova York Sid recebeu um pedido da New Musical Express para uma entrevista, ele ficou balançado em aceitar, pediu alguns números para ler e também comprou outras publicações especializadas. Não se empolgou com nada e decidiu recusar a entrevista, mas prometeu procurar a NME caso quisesse falar.

Nesse tempo sempre pingava uma boa grana referente ao Sex Pistols, suficiente para ele ter tranqüilidade. A experiência de tocar com The Idols na fazenda deixou um gosto de quero mais e não demorou a recrutar pessoas em Niagara para fazer um som. Assim pelo menos duas vezes por semana ele fazia um som, e gostava porque não tinha compromisso, só faziam versões e os quatro caras que estavam tocando estavam adorando tocar com Sid Vicious, mesmo eles sendo um pouco mais velhos. Não queriam forçar a barra pra nada. Pra eles já tava ótimo fazer um som.
Passados quatro meses Sid realmente havia abandonado as drogas químicas e nem mais sentia falta de heroína. De drogas apenas cigarro, cerveja e maconha.

Volta e meia ele ligava para para o Sr. Phalows para perguntar da estadia na fazenda e, quando viu que ganharia permanentemente uma boa grana até propôs pagar um aluguel. Sr. Phalows se negou e sempre dizia pra ele ficar sem preocupação. Na verdade para ele era até bom Sid Vicious estar lá, pois era um lugar que não ia há anos. Sid já estava pegando jeito com a manutenção da fazenda e aos poucos ia dividindo os afazeres com o casal que morava lá e tomava conta do local.
(continua embaixo...)

8 comentários:

Anônimo disse...

Não acredito isto de fato aconteceu dele ir a Niágara e todas estas estórias durante seu pós reabilitação?

Anônimo disse...

noosa isso tudo e mentira o cara morreu em 2 de fevereiro de 1979 esse infeliz cansou de coçar o saco gordo e foi mexer com os mortos =)

Anônimo disse...

Cala tua boca, Sid era um trocha, um infeliz, mais eles foram a primeira banda de punk rock e isso salvou o mundo, essas historias medilcres que o povo inventa, vai se fode Paulo Marchetti _(_

Anônimo disse...

Ei cara, arruma uma namorada e relaxa. Isso tudo é só uma brincadeira. Ah! A primeira banda de punk rock foi Ramones. :)

Barbara disse...

Na verdade ele realmente morreu dia ~DEZ~ de fevereiro de 1979, mas pelo que eu entendi esse texto foi quase uma brincadeira, algo como uma fanfic. E o Sid não era um trouxa. Você tem noção do que é ter que vender drogas desde pequeno, ser "criado" pelas ruas? Aos 12 anos Sid já era um mini anarquista, mas se você olhar a infância que ele teve, entende o que aconteceu. Ele não sabia tocar, é verdade, mas mesmo assim foi muito importante na história da música e do punk rock. E desculpa aí, mas Ramones nem é punk rock de verdade. Eles se dizem punk rock só porque pegaram algumas roupas do armário do irmão mais novo. São uns babacas u.u

Morte aos indies disse...

Sid sempre foi um medíocre, não tinha noção nenhuma de música, não sabia tocar, não sabia compor, enfim, era um merda. Massss acontece que essa mídia alternativa de merda, como esta cheia de jornalistas gays, e incompetentes, acabaram transformando esse lixo humano, em um gênio. Sex Pistols foi a maior armação musical de todos os tempos. Portanto, quem não conhece essa bosta, mantenha-se consciente, e passe longe!!!

Anônimo disse...

Vocês não sabem nada de PUNK bando de Viados.

Anônimo disse...

ta na kra q vcs nao sabem nada sobre a era do Punk na inglaterra u.u e ainda querem criticar aff :p