17 de abril de 2018

Manifesto Pela Extinção Imediata do Ser Humano

Volta e meia ouço alguém dizer, e eu mesmo também, que o mundo está chato. E como ! Chato por culpa nossa. Das coisas ruins que acontecem aqui não podemos culpar a natureza e o reino animal. Não há a quem mais culpar: eu, você, nós todos!

Não sei dizer e não tenho leitura suficiente pra saber quando foi o exato momento em que o ser humano pegou o caminho errado. (‘Adão e Eva’ não vale, porque não vale mentira)

Mas certamente o mal já veio embutido em nós. O bem também, mas não sei porque cargas d’água, nos damos melhor  com o mal. Com o ser humano o progresso e regresso estão juntos. Construção e destruição juntas. O bem e o mal juntos. Uma loucura!

É proibido matar, no entanto inventamos guerras e fabricamos armas de fogo. Revolveres, espingardas, metralhadoras, granadas, minas terrestres, tanques, bombas, mísseis, armas químicas crueis... Porra, não é proibido matar? Então porque existe indústria bélica? Por que não proibir em todo o mundo o uso de armas?

Se tratamos mal a nós mesmos, evidente que cagamos e andamos para o resto. Somos egoístas no volume máximo. Acontece que, ao invés de pensarmos em meios de abaixarmos esse volume, pensamos em maneiras que nos possibilitam aumentá-lo ainda mais. Não queremos resolver o problema, mas apenas camufla-lo, escondê-lo.

A poluição é o que mais mata no mundo. Doenças surgidas e desenvolvidas por sua culpa matam milhares de pessoas todo ano, todo dia, toda hora! Veja essa lista com China, EUA, Rússia, Japão, Índia, Alemanha, Reino Unido, Canadá, Coréia do Sul e Itália. Quantos países poderosos! Esses são os 10+ que poluem (Brasil fica em 17º). Quais deles estão interessados em diminuir a emissão de gases venenosos? Quem irá comprar briga com eles?!?

No senado americano o aquecedor central é abastecido a carvão, cujos donos são os próprios senadores. Será que alguém ali tem interesse em diminuir o uso do carvão?

Assim cada governo olha pro seu próprio umbigo e a vida segue. “Bora continuar matando todo mundo, porque o poder vem em primeiro lugar”. Nós seres humanos transformamos o Planeta Terra em uma bomba relógio, e quem manda não está nem aí pra isso, sem pensar na extinção do próprio ser humano. Isso, na verdade, não seria nada mal. A natureza e o reino animal iriam até agradecer!

Perceba como é a relação do ser humano nas grandes cidades (que ficam cada vez maiores). Pense na relação entre motorista – motociclista - ciclista - pedestre. O deslocamento urbano é um retrato fiel de como é a relação entre os seres humanos.

É o forte massacrando o fraco (quando o certo é o forte AJUDAR o fraco). "Quanto mais poder eu tenho, mais eu vou te humilhar. Quanto mais pra baixo você estiver, mais contente vou ficar". É assim nas relações sociais e profissionais. Como em um episódio da série ‘Black Mirror’, onde as pessoas andam com os smartphones na mão e dão nota de acordo com o comportamento de cada um. É tudo uma falsidade.

A coisa tá feia pro nosso lado. Foi tudo banalizado, até mesmo a violência. Hoje mata-se por nada: por causa de uma discussão besta no trânsito, de um esbarrão na rua ou mesmo por um tênis usado. Mata-se por qualquer coisa!

Veja como é o universo das torcidas de futebol uniformizadas. É pura violência. E perceba que ninguém faz nada. Pessoas são assassinadas e mortas a pauladas, mas ninguém é punido e preso. Por quê?

Somos maus. Somos maus com o próximo, maus com a natureza, maus com os animais, maus com qualquer coisa. Onde se pode colocar maldade, colocamos. Tanto colocando fogo em ônibus e desmatando florestas, quanto roubando inocentes e matando crianças. Telejornal dá audiência por conta das desgraças.

Exercícios bélicos são realizados, armas nucleares e químicas são desenvolvidas, a exploração de petróleo e outras riquezas minerais são exploradas de forma errada, com muita ganância. E quem movimenta esses mercados? Nós.

Sabemos que não se pode beber e dirigir, mas bebemos e dirigimos. Não pode roubar, mas roubamos. Não pode matar, mas matamos. Não se pode desmatar, mas desmatamos. Sabemos que a corrupção faz mal, mas ela existe tanto na área privada, quanto pública.

Perceba que praticamente tudo que surge conforme progredimos, seja em qualquer área...  engenharia, ciência, tecnologia, o automóvel, o avião, a pólvora, o computador, o foguete, a internet... sei lá, seja o que for, o ser humano é capaz de fazer uso para o mau de tudo o que surge de novo.

Pelo mundo todo corrupção e roubo de dinheiro público, resultam em hospitais mal equipados, escolas sem estrutura, fome e muita desigualdade. Triste, muito triste.

Pra onde olhamos há maldade. Executivos de futebol presos, atletas russos pegos em escândalo de doping, ditaduras matando crianças e cidadãos de bem, médicos inventando operações e cirurgias desnecessárias apenas pra obter comissão na venda de produtos medicinais, é avião que cai matando dezenas de pessoas por omissão das autoridades e nada acontece, torcedores morrem e nada acontece, balas perdidas matam crianças, mercado de drogas e armas que existem por complacência de autoridades, jovens que se suicidam por não aguentarem o bulling que sofrem, padres que praticam pedofilia... A lista de maldades não tem fim!

Um querendo ser melhor que o outro. Inveja por causa de coisas fúteis, supérfluas, de bens matérias, falsas relações. Selfie, selfie, selfie!

Fala-se em amor, mas ninguém o pratica.

O que fazer pra mudar isso? Como fazer pra mudar isso? Tem como mudar isso? Há interesse em mudar?

Talvez Shiva seja a solução: destruir pra reconstruir. O que pode acontecer para que a mudança aconteça? Como ela não vem por bem - já que não o praticamos - a mudança virá por mal. Certamente será através de uma grande guerra, uma peste... algo que irá aniquilar ao menos 2/3 da população mundial, obrigando a quem sobrar, mudar o modo de se viver, mudar o conceito das coisas e finalmente pensar no bem. No bem comum. Um pensamento sem fronteiras, sem diferenças.

Isso não é uma previsão apocalíptica, é apenas o que consigo pensar, quando vejo toda essa maldade acontecendo e quando me pergunto ‘como isso pode mudar?’. A autodestruição é o caminho natural.

Pelo que acontece hoje no mundo tudo indica que as coisas realmente estão prestes a mudar. Assim ou virá nossa bendita extinção ou a bendita grande mudança.






Nenhum comentário: