11 de janeiro de 2016

Filhos de Mengele Lança Álbum Virtual

Esta é a capa do álbum virtual
Em Brasília, no início dos anos 1980, havia uma turma que se reunia na superquadra 308 Norte. Uma turma que misturava fãs de punk rock e heavy metal.

Diversas bandas saíram dali. Alex Podrão e Babú, que hoje estão juntos novamente tocando no Detrito Federal, estavam lá, no início dessa história. Para o lado da turma punk, de lá saíram, direta ou indiretamente, 3º Polo, Frete, Anti-Tédio, Elite Sofisticada e Filhos de Mengele.

Danilo e Paulinho que tocaram juntos em várias dessas bandas, se reuniram novamente para formar uma nova. Assim que soube disso, Podrão me deu um toque e lá fui eu na casa do Danilo fazer uma audição.

Ok. Banda formada, começamos a tocar. Isso era meados de 1985. Nós punks de Brasília tínhamos nossos inimigos, e eles eram os playboys, hoje conhecidos como Mauricinhos (os eternos burgueses). O modo de vida inútil, acomodado e consumista gerou diversas composições do Filhos de Mengele como “Anti-Social”, “Ele é Boy”, “A Pista (Vai Manchar)”, "Burgueses Consumidores" e “Infeliz Natal”.

Punk Rock clássico com letras críticas, irônicas e bastante divertidas. O som dá pra resumir em basicamente 6 influencias: Ramones, Sex Pistols, Clash, Jam, Buzzcocks e Dead Kennedys. Até hoje gostamos, ouvimos e admiramos essas bandas.

O nome veio da cabeça doida de um amigo querido, o Paulão, que foi roadie da banda. A descoberta do médico nazista Josef Mengele morando no Brasil e sua morte, naquele momento jun-jul 1985, era a notícia que tomava conta de todos os jornais e telejornais. Como a ideia do punk é chocar, então ele sugeriu: “põe Filhos de Mengele”. Todo mundo riu e assim ficou (somos as aberrações criadas por ele).

Diferente do discurso e da postura séria de Legião, Plebe, Capital, Escola de Escândalo e Elite Sofisticada; Filhos de Mengele era irônico, com riffs de guitarra e frases de baixo que grudavam fácil na cabeça. Não sei dizer o que fez atrair uma nova geração para os shows da banda, mas skatistas, bickers, punks, os amigos bangers e outras tribos estavam juntas nos shows.

Tinham skatistas das satélites que se referiam ao Filhos de Mengele como “a banda do Boy”, por causa de “Ele é Boy”, que logo virou hit entre a galera que ia ao shows. Assim aconteceu com “Fliperama”, “Infeliz Natal”, "A Pista", "Alegria", "Skarô"...

Com a entrada do Digão, em meados de 1986, com ele veio uma outra turma, na qual faziam parte Rodolfo e Gabriel Thomaz. Para esse pessoal mais novo, Filhos de Mengele virou referência. Tudo acontecendo naturalmente. E o público ia aumentando.

No início de 1987 eu me mudei pra SP e assim sugeri Telo para meu lugar, já que vivia nos ensaios. Ele fez audição e ficou na banda. Nessa época outras bandas foram surgindo e algumas delas em torno dos Mengele.

Mesmo com um monte de gente conhecendo o repertório inteiro do Filhos de Mengele, a banda nunca tinha gravado nada além de 5 demos: “O Entediado” (que tocou na programação normal da Transamérica de Brasília), “Anti-Social”, “TV” e “Religião” (duas versões com Telo).

A banda acabou, veio o Raimundos nos anos 90 que gravou duas músicas dos Mengele (“Infeliz Natal” e “Alegria”), mas o repertório inteiro, que muita gente tem carinho, nunca teve registro em estúdio.

Em 2001 tentamos gravar, porém os acontecimentos com Raimundos fez a ideia ser arquivada (chegamos a entrar em estúdio, em SP). Daí em 2009 Digão, Celso, Danilo e Telo se juntaram no estúdio Órbis, em Taguatinga, e gravaram todo o repertório clássico do Filhos de Mengele. Depois voei para Brasília e gravei minha parte.

Agora em 2015, ano em que se completou 30 anos do surgimento da banda, fui atrás de alguém interessado em finalmente lançar o repertório do Filhos de Mengele e apareceu a Deckdisc.

Assim, em 18 de dezembro de 2015 foi lançado o álbum virtual com 22 músicas: 18 gravadas entre 2007 e 2009 + 4 demos gravadas entre 1986-87.

Esse álbum é vendido em quase 200 lojas virtuais. Eis aqui link para algumas delas. Baixe o repertório, ouça no volume máximo e divirta-se!

(Ainda esse mês estará disponível aqui o encarte com letras, fotos e textos)

Rádio UOL


CONTATO para SHOWS: caixadetroca@gmail.com (comigo mesmo, Paulo Marchetti)


Esq p/ dir: Celso, Digão, Telo, eu e Danilo em BsB (Amsterdam Street 211 - 12/02/2016)


Nenhum comentário: